UOL Estilo UOL Estilo

Envie sua pergunta

Escreva para
etiquetesima@uol.com.br

Este blog é atualizado diariamente

Visitas Contador

31/07/2009

A noiva é mais alta que o noivo

Estou com uma dúvida tremenda... Tenho 1,75 e peso 85 quilos, meu noivo tem 1,70 e pesa 70 quilos, queria muito usar um vestido mais jovial já que sou tres anos mais velha que ele, mais também gosto da idéia de um longo com uma sandalinha ou um sapato sem salto, pois li que deve se evitar a noiva mais alta que o noivo, o que devo fazer?

Não se pode escolher quem se ama pela altura, portanto o seu marido também não deve estar preocupado. Tres anos não é diferença de idade quando se é adulto e, como você é a noiva deve se vestir como quiser desde que se sinta muito bem. Eu gosto do vestido longo com um sapato ou sandália de meia altura. Assim junta conforto e elegância.

Escrito por Márcia Zoladz às 19h20

29/07/2009

Auto-etiqueta 2: o vinho

Prezada Márcia: Um casal de amigos me convidou para um jantar. Levo uma garrafa de vinho? Qual tipo? É verdade que se deve levar a garrafa sem embrulhá-la? Grato!

 

É claro que você pode levar um vinho ou uma caixinha de chocolates. Não sei quem inventou que se deve levar um vinho desembrulhado, o motivo aparente seria para indicar que teria sido escolhida uma garrafa especial de sua adega. Se de fato você tem algumas garrafas em casa e está levando uma delas para o jantar, não é preciso fazer um embrulho. Se o vinho foi comprado especialmente para a ocasião faça um embrulho para presente como faria com chocolates, por exemplo.

Escrito por Márcia Zoladz às 13h01

28/07/2009

Existe auto-etiqueta?

Devemos aplicar as regras de etiqueta à maneira como nos comportamos em casa e até sozinhos?

A cada dia que passa mais a boa etiqueta vincula-se ao bem-estar, assim não acho graça em quem fica desgrenhado em casa e se arruma para os outros, também não faço isso. Não quero mais saber de vestir roupa rasgadinha porque ninguém vai ver e acho que a roupa usada, quando podemos comprar outras, deve ser enviada em boas condições para uma ONG que ajude pessoas necessitadas.

 

            Faço o mesmo com o que leio e o que assisto na TV e no cinema. Hoje a Folha Ilustrada traz a notícia do lançamento de uma série de TV no canal a cabo HBO. Hung conta a vida de um pai de família que perde tudo, a foto mostra o ator da série em uma casa recém-incendiada e, pasmem: para sobreviver ele se prostitui. Aparentemente os roteiristas acham a história engraçada e com potencial de audiência.

 

Não sou porta-voz de moralismos, na verdade nada mais antigo e fora de moda que um roteiro tão velho, tão velho quanto o filme American Gigolo que lançou a carreira do Richard Gere em 1980. E a chatice de tudo isso é que eu adorava assistir a quase todos os seriados: The Nanny, Will and Grace, Grey´s Anatomy e alguns policiais ótimos. Das novas séries gosto de The Big Bang Theory sobre uns gênios tentando lidar com a vida diária. Os canais abertos exibem novelas de enoooorme duração e aos poucos a vida dos outros não parece mais tão interessante, a nossa é muito mais rica e é nela que devemos investir. muito mais rica.

 

Veja a ficha técnica do American Gigolo.

 

Leia mais sobre a série  Hung.

Escrito por Márcia Zoladz às 15h13

27/07/2009

Gripe e preconceito

A coluna da Mônica Bergamo de hoje no caderno Ilustrada, da Folha de S. Paulo, traz uma nota daquelas que seria cômico se não fosse trágico. Mostra com golpe certeiro como rapidamente no Brasil as posições são invertidas e possíveis propagadores do vírus H1N1 sentem-se ameaçados. 

A nota diz que houve o cancelamento de uma audiência por suspeita de um preso estar com gripe suína ou pelo menos muito doente, o que me parece que deve ser um procedimento normal e cotidiano em um fórum. Imagino que as audiências de conciliação nas varas de família, as rescisões contratuais em sindicatos e tantas outras situações que desconheço também sejam adiadas por causa de gripes, mortes, casamentos e até mesmo viagens de férias.  


Mas a nota continua dizendo que a preocupação é grande porque juízes, advogados e promotores compartilham o mesmo sistema de ar condicionado que a carceragem, pensam em pedir uma ação da vigilância sanitária. Devem mesmo, a possibilidade de contaminação dos presos é enorme, especialmente agora quando juízes, advogados e promotores retornam de suas férias e de congressos e alguns podem ter visitado países como os Estados Unidos ou a Inglaterra, onde o índice contaminação da população é muito mais elevado que o nosso.


Veja a nota completa.

 


Escrito por Márcia Zoladz às 10h25